Senar, Sindicato Rural e Secretaria de Agricultura promovem Curso de Doces Cristalizados em parceria

Senar, Sindicato Rural e Secretaria de Agricultura promovem Curso de Doces Cristalizados em parceria

curso senar

Aconteceu na tarde de sexta-feira, dia 24, a solenidade de encerramento do curso de Doces Cristalizados, em Barras e em Compotas, promovidos em parceria pelo Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, com o Sindicato dos Produtores Rurais e a Secretaria Municipal de Agricultura.

A mobilizadora do Senar, Dandra Donizete, destacou a importância da parceria que visa aumentar a renda familiar, uma vez que as participantes do curso saem dali preparadas para produzir e comercializar os seus produtos.

“Agradeço ao Sindicato por nos dar a oportunidade de promover esses cursos e aos parceiros, no caso hoje, a Secretaria Municipal de Agricultura”, disse Sandra.

Entre as participantes do curso as mais empolgadas foram as senhoras Cícera de Morais, Geni Martins e Rosângela Tavares que foram uníssonas em destacar a competência da instrutora do Senar, Cleonice Beraldo, que lhes transmitiu muitos conhecimentos, de forma que todas aprenderam muito, aproveitando bem a oportunidade.

Segundo elas, outro destaque do curso foi a amizade entre as participantes.

“Saio daqui com mais conhecimento, preparada para aumentar a minha renda familiar e com novas amigas”, disse Cícera de Morais.

A instrutora Cleonice Beraldo falou da alegria por estar em Capinópolis, cidade que sempre a recebeu com muito carinho e que já no mês de abril estará novamente na cidade, ministrando o curso de quitandas.

“É sempre um prazer e uma alegria quando venho a Capinópolis, aqui já conquistei muitas amizades”, disse Cleonice que destacou o empenho de todas as participantes que aprenderam bastante, aproveitando bem a oportunidade.

A secretária de Agricultura, Marcela Alves, disse que a sua secretaria, bem como as demais secretarias do município, são parceiros nessa empreitada e estarão sempre juntos ao Senar e ao Sindicato visando levar mais conhecimentos ao homem do campo.

A chefe de gabinete da prefeitura de Capinópolis, Ieda Zanotto, representou o prefeito Cleidimar na solenidade, levando dele o abraço a todas as participantes e aos parceiros que permitiram a realização do curso.

“Estamos todos juntos, buscando o melhor para Capinópolis”, disse Ieda Zanotto.

Levantamento de índice do mosquito transmissor da dengue chega de 2,6 % em Capinópolis

Levantamento de índice  do mosquito transmissor da dengue chega de 2,6 % em Capinópolis

aedes

A equipe de controle de endemias realizou o segundo Levantamento de índice dos focos do mosquito Aedes aegypti, em Capinópolis. Em entrevista, a educadora em saúde, Marilane Vilela, fala sobre esses números.

“O resultado final do índice foi de 2,6%, tendo sido encontradas larvas em 12 bairros, as quais foram levadas ao laboratório e confirmadas. Foram encontrados focos nos bairros Liberdade, São João, Parte Primitiva, Recanto das Acácias, Recanto das Acácias III, Alvorada II, Wagner de Paula, Paraíso, Brasília, Centro, Bela Vista e Campos Elíseos”, destaca.

Pergunta: Você falou que o resultado foi 2,6%. Qual é o índice preconizado pelo Ministério da Saúde?

Marilane: Até 1%

Pergunta: Qual foi o resultado do levantamento anterior?

Marilane: Em janeiro, que foi o primeiro LI, o resultado foi de 2,14%.

Pergunta: Houve um aumento também de casos notificados de dengue em Capinópolis?

Marilane: Sim. Como a gente falou na reportagem anterior, havia só 16 casos. Hoje, a gente está com 27 casos suspeitos.

Pergunta: Isso é muito para uma cidade do porte de Capinópolis?

Marilane: Sim, porque o nosso trabalho é diário. Os agentes, mutirão de limpeza, educação em saúde, o pessoal sempre vem falando e pedindo, então, a informação a população tem, só que ela não está tendo atitude.

Pergunta: O mutirão de limpeza iniciado em fevereiro já finalizou e como está o trabalho da equipe?

Marilane: O mutirão termina no dia 30 de março.

Pergunta: Quantos caminhões de entulho foram retirados das residências e terrenos baldios?

Marilane: 72 caminhões até o momento, um número muito grande para o tamanho da cidade.

Pergunta: Esses entulhos eram locais propícios para a fêmea do mosquito Aedes aegypti depositar suas larvas?

Marilane: Sim, pois se tratavam de armários, geladeiras, fogão, sofá, tudo isso serviria de possíveis criadouros para o mosquito.

José Antonio, supervisor da turma comenta o mutirão de limpeza

Pergunta: Como a população recebeu os agentes de saúde e o pessoal do mutirão de limpeza durante esses quase dois meses de trabalho?

José Antonio: A população recebeu bem, tanto o pessoal da saúde, quanto o pessoal do mutirão de limpeza.

Pergunta: E quando vocês passavam, já iam levando informações, e quando a pessoa, por exemplo, dizia para não recolher determinado objeto, aí depois que vocês explicavam sobre o possível perigo daquilo poder se tornar em um local propício à propagação da dengue, a pessoa finalmente concordava e dizia que podia levar. Existiu esse tipo de caso?

José Antonio: Realmente ocorreram casos assim, mas a gente conversava com a pessoa e logo ela liberava.

Pergunta: Agora o mutirão acaba, mas o trabalho de vocês continua, porque houve o contrato de mais pessoas para uma equipe maior poder realizar o trabalho. Quantas pessoas estão nas ruas?

José Antonio: 14 agentes de saúde.

Pergunta: Mas na hora que acabar esses contratos temporários, vocês ficam com quantos?

José Antonio: Com os 14. São seis pessoas do mutirão de limpeza, mais os 14 agentes, totalizando 20 servidores.

Pergunta: Agora vocês estão fazendo qual trabalho, porque a equipe já percorreu todos os bairros de Capinópolis.

José Antônio: Isso. Agora nós estamos fazendo o segundo tratamento dando preferência aos bairros onde estão ocorrendo os casos positivos.

Marilane reforça convocação para que o povo combata o Aedes aegypti

Pergunta:  O que você tem a dizer para a população e qual a importância dela nessa luta, para esse próximo levantamento do mosquito Aedes aegypti não chegar a 2,6% novamente ou até mesmo ultrapassar, para que não tenhamos 27 casos notificados de dengue, sabendo ainda que o mosquito transmite Zika, Febre Amarela e a Chikungunya?

Marilane: Nós pedimos que a população colabore, por favor, porque os criadouros que a gente encontra estão dentro do domicílio, ou seja, pode ser no quintal ou dentro da residência mesmo. É a população que tem que colaborar. Se você é dona da sua casa, organize. Tire 10 minutinhos por semana, que é o tempo suficiente para olhar o quintal, a bandeja da geladeira, os ralinhos, são coisas simples que fazem uma diferença muito grande, porque esse trabalho tem que ser feito em parceria. Os agentes ajudam, tem a educação em saúde para orientar, mas, se a população não colaborar não vai resolver, então nós queremos um trabalho 100%.

Pergunta: Porque se você pensar que são 14 efetivos nas ruas e você, educadora em saúde, mas a população é de 16 mil habitantes, então o agente acaba sendo o próprio morador?

Marilane: Isso. Porque se o agente demora um pouquinho mais para passar na sua casa, ao passo que você está lá todos os dias, por essa razão que o morador tem que colaborar.

Pergunta: E quem estiver com alguma suspeita de estar com algumas dessas doenças, qual  caminho a ser percorrido?

Marilane: Ao sentir os sintomas, procure a unidade de saúde para o médico dar uma olhada, ver se tem possibilidade de ser uma dengue, porque aí se tiver o caso suspeito, ele vai pedir o exame e a gente vai entrar com o bloqueio.

Pergunta: Como se dá o bloqueio?

Marilane: É feito com o pessoal de Endemias, que faz o combate através do Fumacê.

Pergunta: Mas, nem é bom, pois segundo pesquisas, o bom é evitar, pois queira ou não, trata-se de um veneno, por isso que é bem melhor a população manter o seu quintal limpo para poder se livrar da proliferação desse mosquito.

Marilane: O morador destrói o criadouro na forma de ovo, larva e pupa, enquanto que o combate serve para matar o mosquito adulto e como você mesmo falou, não faz muito bem para o meio ambiente, porque também mata os insetos pequenos.

Pergunta: Que são importantes para a cadeia alimentar, como todos nós sabemos.

Marilane: Correto.

Pergunta: A sua mensagem final.

Marilane: Eu agradeço àqueles que colaboram, porque existem aqueles que fazem a sua parte, enquanto aqueles que não fazem ainda, que ponham a cabeça no travesseiro, pensem, acordem no outro dia, arregacem as mangas, vamos ter atitude, porque só assim a gente chega lá.

BAIRRO

ÍNDICE

P/AEDES

Liberdade

7%

São João

1%

Parte Primitiva

3%

Recanto das Acácias

2%

Recanto das Acácias 3

8%

Alvorada 2

3%

Wagner de Paula

5%

Paraíso

10%

Brasília

6%

Centro

2%

Bela Vista

11%

Campos Elíseos

4%

 

Direção da UFU visita Capinópolis e fala sobre o convênio de saúde

Direção da UFU visita Capinópolis e fala sobre o convênio de saúde

direcao ufu

O prefeito Cleidimar Zanotto e a secretária de Saúde, Sandra Barbosa, receberam na manhã de quinta-feira, dia 23, a direção da UFU – Universidade Federal de Uberlândia, composta pelos Drs. Orlando Cesar Mantese - vice reitor da UFU, Ben Hur Braga Taliberti - coordenador do Programa de residência Médica da UFU, Dr. Cezar Augusto dos Santos - diretor  Executivo da Faepu e Renato Darin - gerente geral da Faepu.

O município de Capinópolis possui um convênio assinado com a Faepu há cinco anos, o qual é aditivado todos os anos. Atualmente Capinópolis e Faepu estão discutindo os termos visando tornar o convênio mais interessante para ambas as partes antes de ser assinado o termo aditivo para 2017.

Segundo o prefeito Cleidimar Zanotto, um dos pontos fundamentais que está sendo visto agora é a possibilidade da vinda de médicos residentes para atender em Capinópolis.

“Estamos aqui numa missão de conhecimento visto que recentemente houve a troca de comando da UFU, com a eleição de novo reitor e de Capinópolis, com a eleição do prefeito Cleidimar Zanotto”, disse o vice-reitor, Dr. Orlando Cesar.

“Hoje, os médicos precisam ter um conhecimento melhor da realidade das pequenas comunidades, que vivem uma realidade diferente de Uberlândia ou de centros maiores, portanto, a vinda deles para sua residência em Capinópolis seria algo muito importante, tanto para nós, quanto o para o município, mas há alguns detalhes que precisam ser sanados, tanto de nossa parte, quanto da parte do município”, disse o Dr. Ben Hur.

O prefeito Cleidimar agradeceu a presença da comitiva da UFU, destacando que é muito importante o estreitamento dos laços entre a instituição e o município e está discutindo juntamente com a secretária de saúde, Sandra Barbosa, detalhes sobre o termo aditivo que deverá ser assinado com a FAEPU de forma a atender melhor  aos interesses do município e, por conseguinte, do povo de Capinópolis, e um dos pontos em discussão no momento é a possibilidade da vinda de residentes médicos para fazer a residência em Capinópolis, atendendo ao povo.

Logo após a reunião o prefeito e convidados foram visitar algumas unidades de saúde do município.

 

botao acesso informacao

previdencia

vtn